quinta-feira, 6 de maio de 2010

Longe se vai...

                                                   * Priscilla Gordilho



“...Vou me encontrar
Longe do meu lugar
Eu, caçador de mim...

Longe se vai
Sonhando demais
Mas onde se chega assim
Vou descobrir
O que me faz sentir
Eu, caçador de mim...”


Muito longe eu fui. Estive na Reggio Emilia, sonhando. Sinto uma enorme emoção ao pensar na experiência que vivi durante a Semana de Estudos na Itália, na linda e cultural cidade de Reggio Emilia. Uma pequena cidade com tamanho encantamento. Uma “cidade maravilhosa, cheia de encantos mil”. Sabe aquela frase que diz: não tenho palavras para descrever? É assim que me sinto quando penso na viagem! Muitas lembranças me vem a mente...
     Lembrança dos amigos, de variados cantos do mundo. Essa foi uma experiência fantástica. Dialogar com México, Peru, Chile, Colômbia, Argentina, São Paulo, Rio de Janeiro...Guardo preciosidades desses momentos. Ouvir seus relatos envolvendo a infância foi inspirador!
     Como não me emocionar ao perceber que junto com tantas outras pessoas, pensávamos na criança, em todo o seu potencial e possibilidades? Dialogamos sobre a infância...
     Desde a semana em Reggio, continuo na busca de oportunizar às crianças viverem plenamente a infância e acredito que, para isso, preciso exercitar o olhar relativo, aguçar minha escuta e meu olhar curioso e observador.
     Cheguei dia 7 de fevereiro à Salvador. Como é boa a sensação de voltar para casa. Como foi bom falar sobre a viagem com meus parentes, pessoas com as quais divido os meus sonhos. Sinto que pude encantá-los com cada experiência. Já no início da semana seguinte, estava na Escola em que trabalho, a Nossa Infância. Cheguei, soube que atenderia aos pais de cada criança do grupo 1 (onde atuo como professora), dos meus pequenos companheiros e sonhadores. Foram diálogos valiosos, vi que já estava com um olhar mais profundo, mais amplo, tinha me transformado com as experiências em Reggio.
     Em seguida, muita expectativa para o primeiro dia de aula, dia 18 de fevereiro. Nesse dia, as crianças foramchegando, uma a cada vez, na certeza do nosso encontro sem fim, assim como Carla Rinaldi, presidente da Reggio Children, nos sugeriu que fosse a nossa semana em Reggio. Os momentos em Reggio me voltaram à mente. Lembrei da coragem necessária para mudar e deixar-se mudar, para acreditar que precisava voltar diferente de quando parti.

     Hoje, a cada novo encontro com os pequenos que surpreendem, vivo a emoção de compartilhar experiências com o Grupo 1 que me enche de alegria e de encantamento. Estou diferente, compreendo ainda mais o valor de sonhar, de respeitar as crianças.
      Desejo essa experiência para todos os seres humanos, que, assim como eu, sonham com uma plena infância!
Sem fim, serão sempre meus sonhos!

*Priscilla Gordilho é professora do Grupo 1 e assistente de coordenação pedagógica do 1º ciclo, da Escola Nova Nossa Infância.

7 comentários:

Nuchinha disse...

Que bom que sua experiência foi valiosa e que pôde trazer um pouco dela para o convivio com seus alunos. Que a vida seja sempre assim para você, cheia de sonhos.
Parabéns! Beijo Nuchinha

caugordilho disse...

Espero que você continue com este entusiasmo e dedicação pelas crianças e consiga fazer delas verdadeiros cidadãos. Torço por você!!

anelise.godeguez disse...

Boa tarde.
Meu nome é Anelise, sou pedagoga formada pela PUC-SP e trabalho na área da educação.
Em meio a pesquisas na internet vi seu relato sobre a Itália e escolas de abordagem reggiana.
No final do mês de junho irei à Itália e gostaria muito de conhecer de perto essas escolas.
Você poderia me dar umas dicas? Para visitá-las, preciso agendar? Como você fez?
Fico no aguardo e agradeço desde já.
Atenciosamente,
Anelise

Theresa Siqueira disse...

Gostaria de conhcer reggio emilia. Sou niutricionista e educadora popular, depois de ler a gramática da fantasia e de ter vivenciado e projetado uma experiencia de arte-educação-nutrição-saúde com crianças me aproximei da abordagem reggio emilia. Gostaria muito d econhecer a cidade. como faço? alguém poderia me dar umas dicas?

Anônimo disse...

Oi Anelise,

Que bom conversar com você! Reggio é mesmo inspiradora. Eu fui pra Reggio através de um grupo de estudos. Nesse grupo tinha pessoas de diferentes lugares do Brasil e do mundo. Acredito que essa seja a forma possível de conhecer as escolas de lá. Vou te dar o contato de uma amiga, que é a representante da RedSolare Brasil, que organizou esse grupo. O nome dela é Marília Dourado. Você pode escrever para ela através desse blog. Ela publicou alguns textos por aqui! Espero ter te ajudado um pouquinho...! Onde você trabalha em SP? Estou indo morar na sua cidade ao final deste ano! Beijos,
Priscilla

Anônimo disse...

Olá, eu acabei de voltar da Argentina, amei, amei , amei...Meu nome é Ana Lúcia, sou pedagoga e pretendo ir a Italia no próximo ano. Também voltei muito feliz, até porque pude perceber que o trabalho que realizo esta muito próximo ao que eu pude ver neste encontro. Amei, quem sabe eu possa ser também uma escola Reggiana!!! abraços Ana, vamos continuar lutando pelo futuro dos nossos pequenos, para que possam explorar mais a nossa cultura, nossos escritores,pintores, artistas, que possam mexer com materiais com intensidade, estarem em ambientes próprios e com estruturas adequadas, alimentação saudável!!!e muito mais...

Anelise disse...

boa tarde Priscilla.
mil desculpas pela demora em responder. vamos nos falar por email? me escreva. anelise.godeguez@uol.com.br
beijos