sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Reunião Mensal RedSOLARE Brasil


Caro (a) educador (a),
RedSOLARE Brasil - Pólo Bahia, convida para a Reunião Mensal/agosto-2012. Contaremos com a presença de Marilia Dourado, Representante Nacional da RedSOLARE Brasil.

 Faça sua inscrição enviando seu nome por email.

   Contamos com sua presença!!
             Cordialmente,
             Equipe da RedSOLARE Brasil

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

PRÓLOGO LIVRO “DIÁLOGOS COM REGGIO EMILIA”

Por Marilia Dourado*

Em Diálogos com Reggio Emilia**, escuto, investigo e aprendo, como está posto no título desta obra. Mas vou mais além: sonho e cultivo a ideia de escolas de educação infantil do Brasil e do mundo dotadas de princípios ético, estético e político, que reconheçam as crianças como agentes de mudança e transformação e que com elas, efetivamente, estabeleçam relações de confiança para a construção de uma autonomia criativa.

Faço parte do International Network da Reggio Children, grupo mundial organizado com representantes e associações de mais de 30 países e presidido por Carla Rinaldi. Sou membro deste grupo como representante do Brasil na RedSOLARE – Associação Latino Americana em defesa da cultura da infância e de difusão das práticas educativas das Escolas Municipais de Reggio Emilia.

Como representante da RedSOLARE Brasil, tenho tido a oportunidade de ir à cidade de Reggio Emilia duas vezes ao ano, nos últimos cinco anos. Faz três anos que Carla me fez uma provocação e desde então vivo com esta ideia na cabeça e no coração: “A América Latina é a esperança do mundo, vocês estão se organizando para responder a essa expectativa? Temos muito o que aprender com vocês.”

Minhas reflexões referem-se, principalmente, ao processo gerativo, à contribuição da prática educativa de Reggio e às experiências e reflexões que Carla Rinaldi oferece a nós, educadores brasileiros, porque creio que essa é uma das questões mais importantes a ser compreendida, para irmos muito além do aparente, do modismo, da importação de modelos, do fazer sem refletir.

Neste livro, com capítulos escritos ao longo de três décadas, encontro muitas ideias, pistas e trilhas para atribuir sentido e participar da construção e reconstrução das trajetórias de creches e pré-escolas de educação infantil no meu país, valorizando história, identidade, cultura e participação. 

Este é um convite à compreensão de que estamos no momento de agir e convocar todos os atores sociais que trabalham em espaços educativos para a defesa da infância através de um diálogo verdadeiro, transparente e transformador, conscientes das nossas escolhas e de quanto temos que aprender com as crianças. É o contrário da indiferença, do conformismo e da negligência.

Na obra, a autora narra seu percurso profissional em diferentes momentos da sua história e a experiência das Escolas de Reggio Emilia como um projeto que, vivido e testemunhado com autenticidade e conhecimento de causa, foi construído na coletividade, optando por reconhecer recursos e potencialidades sempre inéditos nas crianças durante a primeira infância, por valorizar os educadores e a família como protagonistas, assim como a memória, o registro, a documentação e a história como elementos de um patrimônio cultural das escolas. Como um projeto que optou também destacar como as riquezas da espécie humana transcendem as culturas individuais, o que exige responsabilidade e participação de todos. 

As escolas são ambientes organizados que oferecem ao ser humano um espaço de vida. Como devem ser esses espaços, são escolhas que devemos fazer. Carla defende que sejam lugares envolventes para crianças e adultos, acolhendo-os numa rede de relações em um campo de possibilidades criativas de expressão e de comunicações múltiplas. Aqui entra a tão bem-colocada ideia de escuta; uma escuta que prevê diálogo atento, cuidadoso e marcado pelo respeito — uma comunicação que não está só conectada com a palavra, mas também com os olhos, o corpo, as mãos.

Volto à provocação inicial que Carla me fez e questiono: Como os educadores de Reggio podem aprender com as nossas experiências? Recordo Humberto Maturana, que afirmou: “Mesmo que de imediato não o percebamos, somos sempre influenciados e modificados pelo que experienciamos.”

Vejo que, na ideia de complementaridade, encontramos as possibilidades de intervenção e colaboração. É com a nossa identidade e com o nosso próprio sentido de atuar em relações democráticas e respeitosas com o outro, com o mundo e com a natureza que expressamos nossas grandes riquezas. É nossa vocação para a atitude positiva e agregadora, sobretudo pela realidade desafiadora e tão diversa que vivenciamos no Brasil, a pista colocada por Carla para trilharmos nosso caminho para uma educação infantil que faça a diferença.

Vamos portanto construir laços entre espaços geográficos do nosso país e do mundo e tempos históricos diferentes da nossa história e de muitas outras que nos projetem para um aqui e agora pleno e um futuro cheio de relações múltiplas, para que sejamos capazes de perceber o valor da nossa força, para que a educação infantil floresça, cresça, transforme e nos estimule a cultivar novos sonhos.


*Representante Nacional da RedSOLARE Brasi
 **Prólogo do Livro "Diálogos com Reggio Emilia: Escutar, Investigar e Aprender", Carla Rinaldi, Ed. Paz e Terra, 2012.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Momento Cultural em BH!



Seminário Vozes que Transformam: Infância, Um Fio de Esperança Permanente proporciona um diálogo intenso e vivo em Belo Horizonte, com a parceria da Escola Balão Vermelho. Abaixo, imagem do momento cultural vivenciado no primeiro dia do Encontro.



quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Diálogo Permanente!



Participei do Seminário Internacional “Vozes que transformam: infância, um fio de esperança permanente”, na cidade de Sorocaba. Quero agradecer a organização e escolha de palestras e relatos.

Foram momentos de escuta, apreciação e reflexão com as educadoras da cidade de Reggio Emilia, o que me fez e faz pensar nas minhas intervenções pedagógicas com as crianças de minha turma na cidade de São Paulo, onde sou professora de educação infantil há 23 anos.

Pude perceber que as belas produções são uma conseqüência das aprendizagens e é no percurso onde acontecem as construções de conhecimentos.

Conhecer os relatos de propostas que acontecem no Brasil revela que estamos no caminho e em busca de intervenções pedagógicas inovadoras.

Acredito que em nosso país precisamos ter foco na identidade cultural, como foi comentado, e isso é possível em nossas propostas com as crianças. É preciso muita dedicação, empenho, observação, escuta e reflexão por parte dos professores, pais e gestores educacionais.
Sem dúvida fica a vontade de querer aprofundar os estudos e participar da semana de estudos em Reggio Emilia.

No intuito de continuarmos as reflexões compartilho meu blog com intervenções pedagógicas em diversas escolas de educação infantil no município de São Paulo.


Renata Honora

Encontro de Referência da RedSOLARE Brasil tem início em Salvador


3 dias para nosso Seminário em Belo Horizonte!


sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Seminário em Sorocaba

Conferência de Abertura: A experiência de Reggio Emilia: Dar vozes às Crianças,
Pais e Professores - Bruna Elena Giacopini, pedagogista; Elena Chierici, educadora das
escolas do Município de Reggio Emilia




quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Programação 10 e 11/08


Regimento traduzido em português

Mais uma conquista da RedSOLARE Brasil! O Regimento das Creches e Escolas do Município de Reggio Emilia traduzido em português!
Parabéns a Reggio Chindren! A RedSOLARE Brasil está sempre junto e em parceria com vocês!



quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Diálogos com Reggio Emilia em Português




"Em Diálogos com Reggio Emilia, escuto, investigo e aprendo, como está posto no título desta obra. Mas vou mais além: sonho e cultivo a ideia de escolas de educação infantil do Brasil e do mundo dotadas de princípios ético, estético e político, que reconheçam as crianças como agentes de mudança e transformação e que com elas, efetivamente, estabeleçam relações de confiança para a construção de uma autonomia criativa."

Este é o trecho do prólogo que Marilia Dourado escreveu para "apresentar" a obra de Carla Rinaldi que acaba de ser lançada em português e estará disponível nos Seminários da RedSOLARE Brasil: 10 e 11/08, em Sorocaba e 17 e 18/08, em Belo Horizonte.





Vale a pena conferir!

Equipe RedSOLARE Brasil
71 3356 0037
redesolarebrasil@gmail.com

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

10 dias para nosso encontro em Sorocaba!


Por que ir à Itália visitar Reggio Emilia?

*Telma Holanda Ferreira
Na semana de 14 a 18 de maio em Reggio Emilia, cidade localizada no norte da Itália, aconteceu o Grupo de Estudo da América Latina – Portugal e Espanha. Neste encontro 250 educadores estiveram presentes na busca de troca de experiências pedagógicas e de conhecer um pouco mais sobre a abordagem utilizada nas escolas Reggianas, consideradas no mundo sinônimo de excelência em Educação Infantil.  Eu, Telma Holanda e Fabiane Vitiello, fundadoras da Diálogos fizemos parte do grupo que representava o Brasil.

Participar de uma experiência como essa é acreditar que a educação é um processo contínuo, e que necessita de aperfeiçoamentos e reflexões frente as transformações sociais e culturais do mundo em que vivemos. Por esse motivo buscamos novas experiências e conhecimento para assim podermos nos inspirar em práticas educativas bem sucedidas e com isso aprimorar as nossas.

Considerando a educação desde os primeiros anos de vida como um elemento importante para o futuro precisamos entender a criança como alguém potente, que se comunica e que se utiliza de cem ou mais linguagens em todo o seu processo de aprendizagem, atribuindo assim significado a ela.

Compreendendo essa criança ativa, que pensa e faz, conseguimos enxergá-las como sujeito de direito que elabora cultura e conhecimento.

A semana de estudo ocorreu no Centro Internacional Loris  Malaguzzi, cujo espaço leva o nome do idealizador da proposta utilizada nas escolas de Reggio. Este espaço foi criado para que os intercâmbios culturais que abrange países de todos os continentes pudesse acontecer. Participamos de várias palestras, tivemos a oportunidade de visitar muitas escolas, como Paulo Freire, Sole, Andersen, Águas Claras e Michelangelo.

Pudemos observar as salas de aula, conversar com as professoras e conhecer toda a estrutura organizativa in loco. Todo ambiente escolar que vimos era assinalado pelos traços da vida das crianças que vivem ali e que juntas constroem o espaço.

Frente a esse olhar nos sentimos felizes por comungarmos o mesmo pensamento em relação ao ambiente oferecido às crianças de Reggio, um ambiente de muita estética, de formas, cores, luzes, aromas, arte e também pela preocupação com a formação dos profissionais que desenvolvem esse trabalho.
Acreditamos que se faz necessário a formação constante de todo profissional envolvido no processo de educação e que uma viagem de estudo como esta  nos possibilita crescimento, aprimoramento e o surgimento de muitas perguntas que com certeza nos levarão a grandes descobertas.

*Telma Holanda Ferreira - Pedagoga, Artista Plástica e estudiosa da Abordagem Reggiana. Diretora administrativa de escola privada. Sócia – fundadora da  Diálogos – Viagens Pedagógicas.