quinta-feira, 28 de agosto de 2014

4ª edição do Grupo de Investigação em Cooperação



A RedSOLARE Brasil lança a quarta edição (2014/2015) do Grupo de Investigação em Cooperação com o tema “As linguagens da comida e os bebês”

Com o intuito de aprofundar pesquisas, reflexões e análises de práticas educativas, vamos olhar as crianças de 0 a 3 anos e as relações que estabelecem com os alimentos: um mundo de cores, texturas, aromas, afeto. Uma reflexão sobre a expressividade e as possibilidades que as crianças pequenas apresentam ao encontrar educadores atentos e sensíveis. 

O Grupo será formado por escolas de diferentes cidades, visando abranger a diversidade e a riqueza de práticas existentes em diferentes espaços de nosso país. A investigação terá duração de 07 meses – de setembro/2014 a março/2015. 

Acesse a Revista virtual “Diálogos em Rede”, com a experiência do Grupo de 2013: http://issuu.com/redsolaremexico/docs/revista_redsolare_brasil 

Veja na íntegra o artigo "Nascidos para Brincar e Criar - Um Diálogo em Cooperação" produzido no Grupo de 2013, clique aqui.

Mais informações: redsolarebrasil@gmail.com

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Registro reflexivo - Relato, Conferência Internacional 2014



As crianças são elaboradoras de cultura, portadoras de olhares que podem transformar a cidade onde vivem;

A história poderá ser mudada se nos apropriarmos dela começando pelas crianças;

Uma escola que foi pensada para dar cidadania às crianças e as suas famílias;

Lugar de encontro, participação e troca; 

A educação como um bem permitindo o desenvolvimento de todos; 

Escola diferente, de qualidade, que assegurasse a imagem de criança e de ser humano com direito a felicidade, investigativa, de corpo inteiro e constituinte de conhecimento na relação com o outro;

Os ambientes precisam estar integrados aos processos educativos; 

Os adultos tiram as crianças da invisibilidade, tornando-as produtoras de conhecimento.
 

Meu registro reflexivo poderia enumerar várias frases que anotei da Conferência Internacional da RedSolareBrasil “Diálogos entre Cidade e Escola”, mas o que de fato marcou para mim foi a atitude. A atitude: de quem escolheu as fotos para apresentar no painel, de quem fez a inscrição, de quem nos recebeu, de quem escolheu os saborosos alimentos, de quem falou com a alma na exposição de um trabalho de vida.

Não nos basta assistir a uma conferência sem que a atitude fique expressa nos fazeres. Ouvimos muito, mas, além disso, presenciamos a atitude de amorosidade, de respeito, de compromisso. “Vi, vivi e revivi”. Vi-me criança, vivi momento de reflexão e aprofundamento sobre a infância, revivi minha própria infância e construí sentido sobre meus próprios fazeres. 

Fui tocada e isso é o que de fato importa. Firmei meu olhar sobre a criança e a imagem que tenho sobre minha própria infância determinando o educador que sou. Refleti sobre as concepções que ao longo do tempo trouxeram à sociedade, um aspecto distorcido sobre a infância - tábula rasa sem nenhum conhecimento, anjo desprovido de qualquer sentimento negativo, precoce em suas habilidades e competências – e a importância da escuta, da investigação e do aprender. 

O alimento, servido em abundância, me impossibilitou de almoçar e o tempo aproveitado para assistir ao documentário “Tarja Branca – assisti na íntegra - ampliou minha percepção sobre tudo o que havia ouvido e visto até então”. A introspecção causada pelas imagens levou-me a constatação da importância da inteireza do humano, de sua possibilidade e necessidade de se comunicar e dar sentido sobre o que vê e toca.

Afirmou minha identidade histórica que constrói cultura e que luta por sua autonomia moral e intelectual materializada no fazer, no trabalho. Um ser que se organiza na convivência com o outro e que se expressa através da arte e suas representações. 

A Conferência trouxe a assertiva de minha atuação na luta por uma educação de qualidade para a primeira infância. Confirmou minha tese de que a função social da escola somente estará assegurada quando propiciarmos às crianças possibilidade de autoria, vivência, experiência, contato, representatividade, expressividade e relacionamento. 


CLEIDE CABRAL ALVARES
Colégio Nacional
Uberlândia


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Jardim dos Pequeñitos em articulação com a RedSOLARE

Educadoras do Jardim dos Pequeñitos, Il Sole e Pequeñitos, participaram de formação especial com Claudia Giudici (Presidente do Conselho Administrativo da Instituição Escolas e Creches para Infância do Município de Reggio Emilia e Membro do Conselho de Administração da Reggio Children) e Barbara Quinti (Atelierista nas escolas municipais de Reggio Emilia) de Reggio Emilia - Itália, em articulação com a RedSOLARE Brasil.
O Encontro que aconteceu em Santo André, 15 de agosto de 2014, teve pela manhã a apresentação das Italianas que realizaram formação com a equipe de gestão da escola, discutindo como potencializar a relação escola, família e projetos.
Durante toda a tarde a equipe conversou com as educadoras da Escola sobre as relações entre cidade e a escola, a contribuição da família no processo de aprendizagem e a constituição e progressão de um projeto sob novas óticas e contextos.


sexta-feira, 22 de agosto de 2014

“Tornando Visível a Aprendizagem: Crianças que Aprendem Individualmente e em Grupo”



O lançamento da versão em português do livro “Tornando Visível a Aprendizagem: Crianças que Aprendem Individualmente e em Grupo”, pela Editora Phorte, foi realizado durante a Conferência Internacional da RedSOLARE Brasil, em 16 e 17 de agosto em São Paulo. Desenvolvida pelo Project Zero – Harvard Graduate School of Education, em parceria com Reggio Children – Centro Internacional Loris Malaguzzi, a publicação que teve versão original na língua inglesa lançada em 2001, já desperta o interesse de muitos educadores brasileiros.

Tendo llaria Cavallini e Claudia Giudici como autores e colaboração de Michela Bendotti e Lorella Trancossi, a edição brasileira teve a revisão técnica realizada por Marilia Dourado – representante da RedSOLARE Brasil que vivencia há 10 anos as experiências de Reggio Emilia, e destaca a importância desta publicação no Brasil: “Que esta publicação seja um convite aos educadores que atuam para e com a infância, para compreenderem cada vez mais que a escola é a cidade e a cidade é a escola, enfrentando assim, as marcas da sociedade brasileira sem melindres com a desigualdade, competitividade e individualismo e buscando caminhos e estratégias para a transformação”, afirma a educadora que representa o Brasil no network internacional da Reggio Children.

Mais de 300 educadores que participaram da parte da Conferência “Diálogos entre Cidade e Escola” interagiram com Claudia Giudici, autora do livro e palestrante do evento, durante a sessão de autógrafos, realizada na noite do sábado. Além da distribuição nas principais livrarias do Brasil, a publicação está disponibilizada no site da Editora Phorte.


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Programa Educação Brasileira – UNIVESP TV

O Programa “Educação Brasileira”, do canal digital de comunicação da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (UNIVESP TV) coloca em pauta o projeto pedagógico participativo reggiano. No qual pais, famílias, crianças e educadores se sentem pertencentes das experiências educacionais.

A entrevista com Deanna Margini (Pedagogista das Escolas Municipais de Reggio Emilia) e Marilia Dourado (educadora e representante da RedSOLARE Brasil) dialoga sobre a prática educativa para a infância da cidade de Reggio Emilia – Itália.  Com um projeto diferenciado, as escolas e creches “reconhecem o direito universal à educação de todos sem excluir ou sem selecionar”, segundo Deanna.

Marilia Dourado, que vivencia as experiências da educação reggiana há 10 anos, defende que as crianças precisam ser escutadas e reconhecidas com o seu enorme potencial. Além de experiências a respeito da educação e das crianças das escolas e creches, a entrevista traz também o questionamento de como as escolas brasileiras podem aproveitar a experiência de Reggio Emilia e de que maneira os educadores italianos podem se inspirar nas iniciativas do Brasil.