terça-feira, 11 de outubro de 2011

Educação e as estratégias competentes


Reggio Children International Network de 2011
Alba Bezerra*[1]

O que é educação competente?
O convívio em si,  durante uma semana intensa com colegas de diferentes países ali representados, na Reggio Children Internacional Network, foi uma estratégia de educação competente. Competente porque somamos as nossas diferenças e agregamos valor nas relações estabelecidas, na aprendizagem coletiva e na consciência do papel e implicação de cada um com a cultura da infância e a imagem de criança que colaboramos para construir.
Falar de criança é ter como premissa a transformação social e cultural, pois a educação é uma responsabilidade da sociedade civil, da comunidade. Essa é uma capacidade de construir o futuro agindo no presente. Um presente que nos desafia, mas que também nos impulsiona a seguir sempre com esperança e fé nos homens, convictos de que “nós podemos muito, nós podemos mais”, como já nos dizia Gonzaguinha!
Malaguzzi nos deixou esse legado e inspiração: trazia a força do discurso, do diálogo e especialmente das relações compartilhadas para que possamos aprender a fazer com o outro em uma atitude de generosidade e de respeito a diferentes olhares, mas sem perder de vista a noção de coletivo. Por essa razão, outra estratégia competente para educação é escutar cotidianamente a família e a comunidade. O que o outro pensa, diz, faz... é uma espécie de “eco” que deve ser ouvido e interpretado. É sempre uma possibilidade de olhar a realidade sob outra perspectiva e reagir, fazer. Loris foi um “mestre” da ação, da coerência entre o que se diz e o que se faz. Por essa razão, a prática educativa das escolas de atendimento à infância em Reggio tem chamado cada vez mais a atenção do mundo.
Essa é a perspectiva que supõem o binômio da qualidade e da quantidade do atendimento à infância. Quanto mais pessoas discutem educação tratando-a como um bem de todos, melhor será a sua qualidade.
No entanto, o que se compreende por qualidade dentro desta lógica?
O princípio da qualidade passa primeiro pela imagem da criança e do ser humano.
Criança vista como um sujeito de direitos: a qualidade de vida, a felicidade, a subjetividade, a ter tempo... a ser criança!
É preciso ser solidário com o processo de consciência da criança, contribuindo com um espaço que alimente a sua curiosidade para que possam agir, explorar, estabelecer relações. Por isso, há uma preocupação com a apresentação de materiais inteligentes.
          Harold Gothson, representante do Reggio Emilia Instituto, na Suécia.
Sim, os materiais inteligentes! Esses são outra rica estratégia competente de educação. Pensar no ambiente esteticamente organizado e na oferta de materiais naturais e reutilizáveis, além de ser uma preocupação com a sustentabilidade e com o meio ambiente, é uma forma de dar espaço para a escuta dos desejos e interesses das crianças. É uma maneira de dar visibilidade ao potencial criativo e a inteligência dos meninos e das meninas para que avancem sempre mais e desenvolvam progressivamente um pensamento complexo.
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           


Túlia Gomes, representante da RedSOLARE Colombia e
 Ricardo, representante da RedSOLARE México.
Patrícia Ramirez, representante da RedSOLARE Guatemala.



Nesse contexto, o sentimento de solidariedade é um sentimento comum. A aprendizagem em cooperação parte deste princípio. Assim sendo, a escola é um grande laboratório de participação política e social. Da mesma forma, qualquer projeto político deve considerar a dimensão educativa.
Durante o encontro mundial, embrenhados com essas ideias, tivemos a oportunidade de escutar uns aos outros sobre as ações que estamos desenvolvendo em nossos países para difusão e valorização da cultura da infância e do potencial criativo das crianças. Cada um com a sua força e capacidade de realização, colocou experiências em diálogo, dentro dos seus respectivos contextos e fez valer a articulação de cada rede que faz parte da Network da Reggio Children Internacional.
A RedSOLARE Brasil trouxe o cenário do nosso povo e da educação para a primeira infância no nosso país, reafirmou a defesa e a crença entre o diálogo entre o público e o privado em espaços democráticos com os nossos encontros mensais e aberto aos interessados (professores, coordenadores, gestores, psicólogos, familiares, estudantes pesquisadores... e interessados pela infância), os seminários internacionais para difusão da prática educativa da Reggio Emilia, enquanto espaços de escuta coletiva e retroalimentação, as redes sociais como um ambiente de comunicação das ações e de troca, além de compartilhar a nossa alegria de ter mais um livro de Carlina Rinaldi, “Em diálogo com Reggio Emilia”, publicado em português pela Editora Paz e Terra, com lançamento previsto para março do próximo ano.
Tivemos a oportunidade ainda de ouvir neste Network sobre a abordagem da Reggio na dimensão internacional e multicultural e os princípios que fazem a possibilidade de um diálogo frutífero em nível local, nacional e internacional, além de testemunhar o nascimento da Fundação Internacional Loris Malaguzzi, uma fundação sem fins lucrativos baseada em uma educação de qualidade como oportunidade social de desenvolvimento e promoção dos direitos e potencial das pessoas no mundo.
No discurso de fundação, o Prefeito de Reggio Emilia, Graziano Delrio, reafirmou que  a teoria das inteligências múltiplas, a interdisciplinaridade, a abertura para outras culturas, a atenção as CEM linguagens são a chave para o futuro.
Ter vivido essas experiências, reafirmou a importância de testemunhar  e de colocar-se disponível à vida e a seus chamamentos, conforme defendia o nosso querido Paulo Freire, como sendo uma das exigências crítico-educativa. Não se transforma a realidade sem se colocar como parte dela de forma corajosa, provocativa, criativa... E  esperançosa, SEMPRE!

[1] Consultora associada da ESSE Consultoria, representante do Pólo Bahia da RedSOLARE Brasil, Coordenadora de Educação Infantil da Escola Colmeia, SECULT/BA.


                                                          




3 comentários:

Anônimo disse...

Olá, realmente é uma experiência única estar no Centro Loris Malaguzzi.
Poderia me informar quando aconteceu este encontro ?
Obrigada,
Lara Queiroz

Alba Bezerra disse...

Ola, Lara!

Este encontro aconteceu no período de 25/09 a 30/09/11 e só participou os representantes das redes (RedSOLARE,dentre outras), em seus respectivos países, que estão em diálogo com a Reggio Children.

Um abraço,

Alba Bezerra

Anônimo disse...

Obrigada Alba,
Era só para confirmar...rsrsr...Estava lá neste mesmo período, reconheci algumas pessoas pelas fotos aqui no blog. Pena não ter descorberto vcs na altura.
Espero conhecê-los um dia...
Um forte abraço
Lara