segunda-feira, 28 de março de 2011

Minha segunda viagem à Reggio Emilia

"Só conhecemos aquilo que nos apaixona"


Carla Rinaldi- Presidente da Reggio Children.



*Ana Tereza Guerra

     Viajo mais uma vez rumo a Reggio Emília com o forte desejo de reencontrar aquele lugar mágico, de grande dimensão estética onde a beleza e a poesia são expressas a todo momento. O respeito e a valorização fundamentam a sua prática educativa.
    Na Reggio a criança é reconhecida como Ser único e é valorizada nas suas diferenças. É vista como a expressão do nosso presente e aprende a ser cidadã do hoje e fazer parte da escola, da cidade e da sociedade.
    Nesta atmosfera de respeito, existe uma forte conscientização que acontece de forma sinérgica em prol da preservação do meio ambiente. Os prédios das escolas de Reggio Emília são projetados sob o conceito da bioarquitetura que tem como fundamento "Homem e Natureza".
    Com muita sensibilidade e criatividade a bioarquitetura utiliza soluções sustentáveis e ambientalmente responsáveis. Este conceito arquitetônico privilegia o aproveitamento da luz solar e o uso dos recursos locais, desde a escolha da localização dos prédios, instalados em áreas selecionadas de forma a valorizar o verde, até o uso da madeira de reflorestamento e da pedra natural.
   As construções são feitas de forma simples, sem excessos e com estruturas mínimas. A escola é projetada para se abrir e para que haja uma interação do interno com o externo, formando assim uma continuidade.

   O REMIDA, centro de reciclagem do município, colabora com o projeto de educação ambiental. As indústrias locais participam doando suas sucatas para serem recicladas, reaproveitadas e reinventadas pelas escolas e comunidade.
    A criança Reggiana é incentivada a utilizar o "LIXO" assim como material reaproveitado da natureza, como pedras, folhas secas, galhos secos, cascas de árvores, argila, etc., para utilizar nas execução das suas produções, auxiliando na construção do conhecimento. É desta forma que Reggio Emília vai semeando o germe da sustentabilidade ecológica.
    A prática educativa Reggiana nos faz refletir sobre a importância da valorização do potencial das crianças. Conforme afirmava Loriz Malagguzi, todos são potencialmente criativos e inteligentes. Segundo ele, limitar, ou seja, roubar o potencial criativo de uma criança, é como roubar um pedaço do património da Humanidade.



" É preciso acreditar nas crianças e na beleza do ser único de cada pessoa."

*Ana Teresa Guerra é Pedagoga, Consultora da ESSE Consultoria Ltda e atualmente reside em Sintra – Portugal.







Nenhum comentário: