segunda-feira, 29 de agosto de 2011


“Uma documentação é a possibilidade de contar a infância de outra maneira.”

Loris Malaguzzi

*Alba Bezerra

Narrar a infância sob o olhar da criança e dar visibilidade a sua forma muito própria de sentir, ver, ouvir,  agir, estabelecer relações, imaginar e descobrir o mundo... Surpreender sempre! Esta é a proposta da nossa MOSTRA.

Organizada com a exposição de painéis de documentações educativas, esta MOSTRA é uma forma de demonstrar o quanto as crianças são competentes e produtoras de cultura, revelando o seu pensamento e potencial criativo através da expressão de suas múltiplas linguagens.
Aprender a olhar o olhar da criança, sem direcioná-lo, sem antecipá-lo, em uma atitude de escuta atenta e respeitosa ao tempo delas, tentando compreender quais são as questões que as mobilizam para alimentá-las e retroalimentá-las, em um exercício constante de metacognição. Esta é uma construção que muitos de nós, educadores, buscamos fazer através da observação e compreensão da cultura da infância e da documentação.
A RedSOLARE Brasil, reconhece e afirma que o uso da linguagem visual é uma estratégia para fortalecer a cultura e a sensibilidade estética dos educadores, já que, para comunicar de modo significativo, as imagens requerem, sobretudo, um olhar sensível às situações, capaz de captar a essência dos acontecimentos para que possam ser narrados com toda beleza da infância, pois como diz Gregory Bateson: “O estético é uma estrutura que comunica.”
Esta MOSTRA DE DOCUMENTAÇÕES, produzida por instituições públicas e privadas, de distintos contextos educativos, é um convite para que cada educador transforme a realidade e dê cada vez mais visibilidade à cultura da infância.

*Alba Bezerra
Curadoria/RedSOLARE Brasil
Representante do Polo Bahia-RedSOLARE Brasil
Emy Denis
Designer Gráfico / RedSOLARE México

 

Um comentário:

Débora Santos disse...

O prática em se documentar ações infantis parece-me comum nas unidades escolares brasileiras, concernente a imagens, haja vista a divulgação destas, em diversos blogs que tratam a educação infantil. O que percebo falhar portanto, é o olhar observador do educador ao captar momentos e registrá-los, o que, culturalmente sofre certa resistência, dada a demanda de trabalho. A prática, a escuta e observação pelos educadores portanto, deve ser mais efusiva, segundo meu ponto de vista.