sábado, 20 de novembro de 2010

Novo Olhar sobre o 5º Seminário da RedSOLARE Brasil


*Carol Uzeda


Gente. Gente diferente, envolvente, interessante, apaixonante... Gente boa, gente fina, gente “da gente”. Ouvir e vivenciar o 5º Seminário da Redsolare Brasil tornou possível e rico o diálogo com outros educadores, ampliando o olhar e os horizontes sobre a Educação Infantil. Conhecer mais de perto as diferentes maneiras de “fazer”, pensar, agir, as diversas formas de sentir a prática, a vida, os desafios e a forma que propagam as nossas ações, nossas falas e atitudes.


O encontro tornou possível viver essa multiplicidade que estamos imersos e o quanto estamos próximas. Minas, Sul, México, Colômbia, Reggio e Brasil, contextos distintos e complexos que se encontram em um espaço privilegiado e democrático de diálogo, produtivo para pensar a cultura da infância. Refinar idéias, levantar questões, investigar, repensar... Uma experiência instigante e prazerosa.

Perceber o compromisso das meninas da Cid Passos – Salvador - BA e o relato envolvente da professora Lenise, consolidou a crença da Reggio como inspiração e não exatamente como um “modelo” a ser seguido. Identifiquei-me com as professoras do Centro Educacional Caminhos em Lajeado – RS quando, socializando a filmagem, nos confidenciava as inquietações, fruto de uma prática consciente, refletida, intencional e respeitosa. A professora Thaíza, da Escola Navegante em Uberlândia MG, revelou uma prática recente mais cheia de beleza e fascínio que nos convida a aprofundar as idéias e exercitar a pedagogia da escuta. Ao ouvir Alba, da Escola Colmeia - Salvador - BA, pensamos sobre como deve ser constante a busca pela compreensão do olhar da criança. Olhar este inteiro, complexo e intenso. E como esta criança explora o espaço, a cidade, o meio urbano que vivencia. Espaço que não é pensando para ela, mas é reinventado por ela. Rita de Cássia, da Escola Creche Pequeno Aprendiz, em Itabuna - BA, encantou e convocou o grupo a aguçar o olhar e perceber, de maneira sensível o que as crianças nos trazem do contexto, da sua cultura. Lindo e empolgante relato: O Pequeno Fazedor de Pipas. Fernanda, da Nossa Infância – Salvador - BA, me conforta quando traz os princípios da escola onde trabalhamos revelado nas ações das crianças, contando-nos uma vida de beleza e responsabilidade.


Juan Carlos, Atelierista – Bogotá/ Colômbia, impressiona com sua palestra! Encanta a sua maneira de falar, de pensar ambientes, das intenções, questionamentos... Instiga a aprender, buscar, procurar as fontes de pesquisa... Encoraja a busca, a produção e fortalece a prática com as crianças.
Valeu muito! Boas memórias ricas trocas!

Marília, mais um encontro vitorioso, produtivo e aconchegante! Bom sentir-se acolhida e instigada!

Na oportunidade, agradeço à Sandra Torzillo, minha diretora, que sempre antenada, nos apoiou nesta jornada.
Abraço grande!


*Carol Uzêda é pedagoga e educadora do 1º ciclo de Educação Infantil na Escola Nova Nossa Infância – Salvador – BA.

3 comentários:

Marilia Dourado disse...

Carolzinha e demais parceiras,

estou eu aqui, do outro lado do oceano... que enorme alegria e forte emoção receber este belo texto de uma jovem e inquietante educadora... é tão bom saber que tocamos o coração, que estamos em sintonia, que é possível e preciso construir um novo mundo... mais igualdade, mais justiça, mais força, mais coragem, mais ousadia, mais VIDA... VIDA bem VIVIDA para todos, para todas.
São ações como esta que me fazem seguir em frente, continuar investindo e fazendo a diferença. Tudo isso só é possível porque somos muitas, muitos... que sonhamos juntos, que cultivamos uma doce e provocante utopia.
Parabéns Carol pelo lindo texto, pelo exercício do olhar relativo, pelo respeito a todos, ao ritmo e aos modos de aprender também dos educadores. Temos uma sociedade muito perversa que julga ao seu inteiro dispor, o outro... é tão bom ver outros olhares nascendo, conviver com a diferença, faz a diferença neste mundo.

Carol Uzêda disse...

Marilia,
Saiba que você é muito forte e presente na minha formação, aliás, "eu sei que você sabe"... Mesmo do outro lado do oceano...!
O seminário foi mesmo interessantíssimo!

Tati disse...

Olá Carol!
Que bom reencontrar pessoas que se conectam com idéias e inspirações calcadas num pensar-agir pedagógico mais reflexivo, interessante e verdadeiro.
parabéns pelo texto
Tati