sábado, 27 de novembro de 2010

O olhar de um grupo de mineiras...

*Equipe diretiva da Escola Navegantes

Chegamos a Salvador com muito desejo de compartilhar o que vivemos e de conhecer a sonoridade das vozes que por muito tempo estiveram em contato conosco via e-mail, olhar nos olhos dessas pessoas que estão distantes e ao mesmo tempo fazem-se tão próximas de nós, em conexão com os mesmos sonhos e ideais, partilhando anseios e inquietações.

A equipe da Navegantes estava ansiosa pelo momento de partilha, onde nos propomos a dialogar com os parceiros uma documentação realizada por um grupo de crianças da escola, aos poucos fomos desacelerando e nos sentindo pertencentes àquele contexto. Agradecemos a escuta, a acolhida, o respeito e as contribuições de todos os presentes no grupo de aprofundamento. Para nós foi muito intenso, exigiu uma entrega e sentimos essa entrega dos outros participantes também. Toda a vivência do dia 04 expressou e contribuiu para a relação de respeito e confiança presentes no grupo de cooperação.

Em nosso primeiro encontro com as escolas do grupo, contamos também com o olhar de Juan Carlos; a presença de um atelierista tão sensível e atento abriu-nos os horizontes, como bem disse Morgana a sensação era de que uma luz estava sendo acessa, iluminando novos caminhos e possibilidades.

Algumas indagações permanecem em nossas mentes causando produtivas dores de idéias; aprofundar mais, degustar os detalhes, observar e saborear com todos os sentidos a impressionante maneira das crianças serem e estarem no mundo. De que forma as crianças expressam seus pensamentos? Que papel cumpre o jogo no universo infantil? O que é imaginação? Perguntas que provocam desequilíbrio interno e ao mesmo tempo oferece subsídios para construirmos nossa própria plataforma de trabalho.

Depois de ouvir e nos apropriar da beleza e da complexidade de tantas experiências envolvendo escuta atenta, dedicação e respeito perante a Infância, nossas projeções não cabem dentro de nós, começamos então a conjeturar ações, movidas pelo clima de esperança e garra que nos apropriamos ao estar em contato com iniciativas em prol da Infância de repente nos vemos envolvidas e nos sentindo de fato co-responsáveis pela causa da Infância.


*Silene, Mônica e Morgana.

Escola Navegantes- Escola do Grupo de Cooperação -Uberlândia MG.

Nenhum comentário: